Foi aqui, nesta cidade que tudo começou. Decorria o mês de Março de 1972 quando, no Regimento de Cavalaria 3, nasceu o Batalhão de Cavalaria 3888 do qual a Companhia de Cavalaria 3559 fazia parte. É dela que vamos falar.
Venham connosco...

ANTADORA

Descrição do Aquartelamento


 Antadora tinha sido, dizia-se, um pequeno aldeamento junto à estrada que liga Porto Amélia,hoje Pemba, a Mocimboa da Praia.Estrada essa que estava completamente desactivada pois as pontes que nela existiam estavam todas destruídas, e nessa altura era um pequeno aquartelamentono meio do mato.
 A sua disposição era circular com cerca de 200 metros de diâmetro e composto por barracas de zinco que serviam de casernas, para posto de trnsmissões, armazém para munições e armamento e secretaria. Tinha ainda umas construções mais sólidas, feitas em alvenaria que serviam de caserna para oficiais e sargentos e para depósito de géneros.
 Tudo isto era cercado por uma vala e arame farpado. No lado norte tinha uma pequena pista em terra batida que servia para os aviões pequenos aterrarem e assim fazerem o abastecimento de comida fresca e entrega do correio para todo o pessoal, normalmente à sexta feira que como é óbvio era o dia mais desejado. No entanto quando chovia a pista ficava inoperacional e o abastecimento era interrompido.
 Mais abaixo, no lado sul passava um pequeno rio de seu nome Muera, de onde era tirada a água necessária para o abastecimento do aquartelamento. Essa água servia para tudo, fazer comida, banhos do pessoal e lavagem de roupa.
 Viemos a saber mais tarde, depois de análises feitas a essa mesma água, que não servia nem para lavar a roupa quanto mais para beber.
 A actividade da companhia consistia essencialmente em, patrulhar a área fazendo operações de mais oumenos três dias bem como colunas para reabastecimento. Uma das nossas missões também era fazer operações em conjunto com outras companhias.

Actualizado em 15 de Janeiro de 2018 ✉ ccav3559@hotmail.com